LORWYN / PÂNTANO SOMBRIO

Lorwyn é um mundo idílico onde raças lendárias florescem em um eterno verão. Seu reflexo negro, o Pântano Sombrio, vive na escuridão eterna, seus cidadãos sofreram uma macabra transformação e estão empenhados em uma batalha eterna pela sobrevivência.

Lorwyn é a terra onda o sol nunca se põe. Coberta com densas florestas, rios sinuosos e campos verdejantes, ela nunca conheceu a noite ou o inverno. Um dos poucos planos sem humanos, é habitado pelos pequenos kithkin, pelos flamíneos temperamentais, pelos ladrões papões, pelos ents territoriais, pelos tritões diplomáticos, pelos gigantes iconoclastas e pelas fadas travessas, todos vivendo juntos em harmonia.

Também vivem lá os elfos, a raça mais privilegiada e temida de Lorwyn. Em um mundo de natureza intocada, eles se consideram os paradigmas dessa beleza. Os sinais da supremacia élfica espalham-se por toda parte, desde seus palácios dourados na floresta até sua impiedade com as raças "inferiores". Apesar do domínio dos elfos, o povo de Lorwyn prospera, respeitando a comunidade e as tradições.

A própria terra, ancestral e verdejante, segue em um ciclo perpétuo. A cada três séculos, o ciclo transforma o plano no Pântano Sombrio.

Como uma imagem espelhada de Lorwyn, o Pântano Sombrio é um reino eternamente sombrio e obscuro. Aqui, as raças do plano, sem ter conhecimento de suas existências anteriores, são prisioneiras de uma batalha de vida e morte pela sobrevivência. Assim como o plano, seus habitantes foram transformados em versões obscuras de si mesmos.

Os kithkin, outrora coletivistas e cooperativos, tornaram-se solitários e xenofóbicos. Os prestativos e diplomáticos tritões tornaram-se assassinos e sabotadores. Os papões, outrora travessos e hedonistas, tornaram-se perniciosos e belicosos. Os ents afetados pela praga são assassinos. Os gigantes furiosos arrastam grandes pedaços de terra.

Mas a transformação dos flamíneos e dos elfos é talvez a mais dramática. Outrora brilhantes e buscadores da transcendência, os flamíneos tornaram-se esqueletos fumegantes em busca de vingança. Enquanto isso, os elfos vaidosos são humildes e heroicos no Pântano Sombrio, protegendo cada traço de beleza e luz da terra.

Somente uma raça e um lugar permanecem inalterados: as fadas em seu lar, o Vale de Elendra. As fadinas são o cerne da transformação do plano, pois foi sua rainha, Oona, que a causou.

CRIATURAS LENDÁRIAS

OONA, RAINHA DAS FADINAS

Esta bela rainha governa do Vale de Elendra, de onde ela dá origem a todas as fadinas de Lorwin. Da segurança e isolamento de seu campo, ela mantém contato com todos os seus filhos, que dão andamento a seus planos com truques e traquinagens.

Ver Cartão

RAÇAS DE CRIATURAS

KITHKIN

Vivendo juntos em clachans, os kithkin são pacíficos mas protetores. Todos os kithkin estão conectados através de uma enorme rede telepática chamada trama-mental, que lhes dá uma intensa consciência comunitária. Durante os períodos de escuridão, os kithkin passaram a ser altamente xenofóbicos, desenvolvendo grandes olhos sem pupilas.

VEJA TODOS OS CARDS NO GATHERER

VISITANTES PLANESWALKERS

AJANI JUBA D'OURO

Ajani Juba D'ouro é dividido entre sua ferocidade leonina e seu senso de justiça. Ele nasceu em Naya e se tornou um exilado em sua própria família. 

SAIBA MAIS

COLEÇÕES DE CARDS

LORWYN

Neste plano idílico, raças fabulosas prosperam em uma terra de florestas densas, rios serpenteantes e belas colinas verdejantes. O sol nunca fica abaixo do horizonte e o inverno é totalmente desconhecido. Goblins travessos, elfos impiedosos ou corajosos kithkin... qual tribo você escolherá?

SAIBA MAIS

Usamos cookies neste site para personalizar anúncios e conteúdo, oferecer recursos de redes sociais e analisar o tráfico da web. Ao clicar em SIM, você consente que nós configuremos cookies. (Learn more about cookies)

No, I want to find out more